Marketing Pessoal: você é a sua marca

Marketing Pessoal: você é a sua marca

Confira dicas sobre como aplicar o marketing pessoal na sua carreira

Ouvimos essa frase por diversas vezes, mas, apesar de vários autores falarem sobre esse tema, ainda surge a seguinte dúvida: como funciona o que chamamos de marca? Confira, com a designer de carreira Rogéria Matos, da Faculdade Ruy Barbosa, em Salvador, algumas dicas sobre como aplicar e direcionar as técnicas para o seu crescimento profissional:

A sua marca pessoal deve representar exatamente a sua essência. É preciso entender quais são as suas características principais e usá-las em sua construção. Para isso, é imprescindível o autoconhecimento, a fim de que seja criada uma marca de sucesso.

Partimos do ponto de que: se eu me conheço, sei das minhas competências e habilidades e, dessa forma, saberei vender as minhas aptidões. Além do autoconhecimento, a empatia é importante nessa construção. Colocar-se no lugar do outro, pensar nos valores que você pode entregar – seja seu gestor, colega e até mesmo cliente. Criar a sua marca é saber em que poderá ajudar outras pessoas.

É preciso verificar se já possui clareza para analisar os quatro principais questionamentos na construção de uma marca pessoal, os quais dividem-se entre os seguintes aspectos:

  1. Objetivo: o que deseja alcançar na sua vida? O que tem como meta?
  2. Competência: por que você está ali? O que quer estando ali? Acabei de formar, mas 15, 20 pessoas formaram comigo e agora? A competência é sua. O que você sabe fazer? Investe nisso e desenvolve.
  3. Networking: não podemos separar ele do Marketing Pessoal. Você precisa construir uma rede de contratos e explorar suas competências por meio dela, seja em equipe, na família, com colegas ou amigos de infância. Lembre-se sempre: você não trabalha sozinho!
  4. Persistência: nunca desistir. Não coloque a dúvida, persista. Supere suas expectativas. Não tenha medo de mudanças, pense no que ela pode te proporcionar.

Para que você tenha uma crescente autonomia, tornando-se uma referência, é importante, também, analisar alguns pontos:

  • Sua imagem é seu cartão de visitas

Cuide de sua imagem. Não precisa estar com roupas caras, apenas mantenha uma aparência agradável. Manter uma imagem apresentável é fundamental: pense sempre no que está buscando.

  • Liderança

Uma pessoa que consegue liderar outras é sempre bem vista profissionalmente. Esta talvez seja a capacidade mais admirada: afinal, liderança está cada vez mais atrelada à inspirar as pessoas. E quem consegue inspirar pessoas acaba se tornando referência. Por isso, esse ponto é tão importante no Marketing Pessoal. Liderar não tem a ver com cargos mais altos em uma empresa, mas, sim, é considerada uma postura que você pode exercer diariamente.

3. Solucionar problemas

Nosso valor profissional, muitas vezes, é medido pela quantidade de problemas que conseguimos resolver. Uma pessoa que sabe resolver problemas com assertividade acaba destacando-se em qualquer lugar e, com isso, sua marca fica mais evidente.

4. Valores

Entender que tipo de valor as pessoas esperam de você é o ponto de partida para uma estratégia de Marketing Pessoal.

5. Proatividade

Mostre-se à frente das situações negativas que podem acontecer. Tente ser proativo e pensar, o tempo todo, em soluções e formas de melhorar os processos. Não espere o problema cair e te paralisar, seja a pessoa que descobriu a situação negativa e que trouxe a solução.

6. Seja visto

Não adiantará ser um excelente líder, que resolve vários problemas com uma postura de vencedor e muita proatividade, se ninguém ficar sabendo disso. Apareça em lugares, vá a eventos relacionados à sua área de atuação e, nesses eventos, participe dos debates e se relacione com pessoas, não seja só mais um ouvinte, publique suas conquistas e promova a sua visibilidade. Lembre-se: “quem não é visto, não é lembrado”.

Relacionadas

Networking: oportunidade ou oportunismo
Empregabilidade: Portal de Oportunidades DeVry Brasil